Blog do escritor Ferréz

Seu voto e uma foto

Vendo essa foto feita por Fabio Andrade, me peguei pensando enquanto olhava para a caveira, que pode muito bem ser a cara do nosso país, o que vale seu voto quando está em curso uma manobra gigantesca apoiada pela maioria política do país, além da mídia sempre parcial. Ontem a Globonews trouxe em seu programa "jornalistico" vários especialistas, em comum, todos apoiavam o golpe chamado de impeachment. O que vale de fato seu voto? Até quando aquele que está ali na urna é de fato alguém que você escolheu? Melhor voltar a olhar pro crânio, vazio, sem olhos, onde já abrigou antes uma alma, um cérebro, assim nosso Brasil nesse momento se iguala. Afinal somos todos iguais assim, só nos ossos.

Rússia - Uma juventude inteira

Andar durante 1 hora até Santo Amaro e poder comprar somente um livro de 1 real.
Minha juventude se resumiu a muitos anos assim.
Me deparei com grandes escritores Russos nesses sebos, que tinham livros velhos, com capas rasgadas, mas muitas vezes tão maravilhosos que faziam um menino do Capão Redondo entrar em outro mundo.
Foi assim com Alexander Pushkin, Dostoievski, Tchekhov, Lérmontov, Tolstoi,  Antioch Kantemir, Vasily Trediakovsky e o primeiro que conheci e que desde então nunca mais larguei Máximo Gorki. 
Muitos autores foram perseguidos pelo regime soviético, coisa que deve ter tornado a literatura deles muito mais forte, como é o caso de Ivan Alekseyevich Buni que depois ganhou o prêmio Nobel de Literatura, bom, ainda indico o Alexander Soljenitsin que foi preso num campo de concentração.
Os autores que citei são de várias épocas e estilos diferentes, mas você pode começar com Tchekhov e o próprio Gorki e depois ir para os outros.
Passei por muitos países, mas ainda vejo a hora de chegar no ambiente que criou tantos autores que me fizeram ao menos por algumas horas, sair do cotidiano violento que muitas vezes me magoava tanto. Um dia coloco o pé na Rússia.


Agradecimento

Quero deixar aqui meu agradecimento a todas as cartas e e-mails que chegaram, de professores que estão adotando o livro em suas salas de aula, e também agradecer aos leitores, que fizeram desse livro um sucesso logo que saiu, foi feito sim, como escrevi na abertura do livro, na rua, e para ela, e ver ele circulando desse jeito, me deixa muito feliz, afinal literatura é para isso, para voltar de onde veio, das quebradas e vielas. 
Muito obrigado, pode apostar que o escritor é problemático mas é sincero.

O caminho existe. chama-se Cultura.

Nada pode mudar mais a vida de uma pessoa do que a cultura, por ela existo, por ela luto todos os dias, e ver meu povo tendo acesso, podendo conhecer tanto os livros, como quadros, como a música, isso sim, é realizar meus sonhos. O resto é vaidade.



Coluna Caminhos

Salve, esse é o primeiro texto que fiz para minha nova coluna no site Rap Nacional (Coluna Caminhos). Esse texto é uma vontade antiga de poder conversar com os manos do Rap, de deixar uma mensagem de esperança e mostrar uma sintonia positiva para o público que vem das quebradas, os manos e minas que povoam esse grande país periferia.
Todo mês, também vou estar colocando aqui no blog a mesma coluna, leiam e critiquem, e se tiver algum assunto que gostaria que estivesse na coluna, por favor me mande nos comentários. Grato Ferréz


Caminhos

Para caminhar, pernas boas pra poder continuar.
Tirar as pedras dos caminhos, e parar de pensar nelas.

E são tantos os nosso problemas, como forma de aprendizagem temos que resolver, mas invés disso, colocamos a culpa nos outros. Ninguém é culpado pela sua dificuldade, pois antes de ser dificuldade, ela é sua.
Eu sei, pode apostar, pois já coloquei a culpa em tudo que pude, e assim deixei de ver os caminhos abertos para resolver.
Mano, a soma das choramingações são maiores que a solução de qualquer coisa que você possa fazer.
Escolha esses caminhos, e se puder depois guie as pessoas para também olhar esses caminhos. Pois as placas são difíceis de serem vistas.
Te pergunto como tem gente que nunca disse que esteve desempregado? Pois pra ele nunca esteve, sempre inventando, achando oportunidades, criando se não acha. Inquieto perante o sistema que já é declarado capitalista.
A cidade é cinza, e em meio a neblina as vezes ficamos cegos, e também não queremos ver as soluções.
É pra essas soluções que a caneta vai deslizar aqui no site de agora em diante.
Cada um tem sua verdade, carregue a sua sem guerras, apenas leve a sua verdade no coração pra que você mostre e não imponha a ninguém, vai fazer muito mais sucesso.
As vezes você sente que está em guerra com todos e com tudo, ou parece que tudo declarou guerra pra você, mas até onde é real, e até onde você fez essa guerra? Até onde você colocou as barreiras, cavou as trincheiras, imaginou as armas?
Não vai ter melhora em seu caminho, se não se reconciliar e começar a dentro de você exercitar esse processo de mudança.
Inimigos são apontados, pra que agente se sinta confortável com nossa situação, que por muitas vezes não é boa, e então agente prospecta neles o problema.
O problema é nosso, o maior problema é que não falamos de soluções, e sim dos efeitos de não ter procurado essa solução.
Do que adianta meu parça, fazer uma letra falando de um senhor que tem diabetes, se não orientar que o açúcar exagerado em tudo é a causa?
Agente criar expectativa nas pessoas, nas coisas, nos ídolos, quando na verdade o caminho é nosso, as atitudes são nossas. E são essas atitudes, que deveria ser positivas, que vão nos guiar para um mundo melhor, nem que seja o “seu” mundo melhor, o mundo menos ruim pra você criar seu filho, sua filha, seu neto.
De uns tempos pra cá, tentando melhorar, e pode apostar que é difícil pra mim também, que vi que o grande mal é as expectativas que criamos. Muitas vezes esperamos o agradecimento, o reconhecimento do outro, e dizemos. - Mas eu ajudei ele. 
E ai? Se ele não reconheceu quem é o errado? Você fez irmão, você realizou, mas no kit não tinha recibo de gratidão. Assim é a vida, não vem com bula de orientação, nem guia de vivência.
Um só caminho, coisa que não existe, uma só oportunidade muito menos. São mais de 300 dias no ano, cada um uma nova possibilidade e se você se agarrar aos 18 anos de casada e deixar de viver mais 30 de um novo amor? E se você se agarrar a educação herdada do se pai, e não conseguir fazer seu filho ser melhor que você? E se você tiver 20 anos, e não saber nada de educação financeira, porque ainda vai pagar 25% de juros no cartão de crédito? Todos seremos continuadores da pobreza, e não só financeira, mas também espiritual.
Tem sim um grande plano, tem sim milhares de pequenos planos pra te manter parado, estático, agarrado a velhos valores, que só servem para enriquecer ainda mais o outro. Mas caminhos também existem aos milhares, conhecimento é a chave.
Hoje é um grande dia, pra se procurar um bom estanho, uma boa modelagem, tirar da caixa essas ferramentas e criar uma chave.

Ferréz é escritor.
facebook.com/ferrez.escritor



A maioria

Uma pena, pois a maioria aqui foi pra praia e pronto, tá feito o feriado, poucos conhecem a maravilhosa data, a luta para conquista-la e assim vamos brincando de país, brincando de um povo evoluído, onde cada vez mais se abre franquia de bebidas e menos livrarias. Conhecimento é a cura, e o sistema é a doença. Pena que no dia-a-dia a cultura não seja prioridade, por isso o trânsito está assim, mostrando a cara mal educada de um povo, que pode ser até universitário mas não compartilha de bondade nem exerce a educação.